100nada

As conas de Braga

Sobre os enconados pais que chamaram a polícia porque os meninos estavam incomodados (que tristeza, esconderem-se atrás das crianças, utilizando cobardemente os filhos para desculparem o seu próprio mal-estar) e sobre a polícia que levou os livros de Courbet, já sem falar sobre todos os incomodados solidários com a censura e a manutenção dos bons costumes, só tenho a dizer o seguinte:

- Há, manifestamente, falta de cona em Portugal. Que existe, sem dúvida. Que é mostrada e/ou vista (e manipulada já agora) de forma aberta (que bem que aqui fica este “aberta”, não vos parece?), não, de todo não. Continua a ser escondida debaixo do lençol, da lâmpada apagada, da vergonha da intimidade. Se toda esta rapaziada tivesse uma saudável relação com as conas a que tem acesso, não se afligiam tanto com uma capa de um livro.

Muita punheta deve ser batida a olhar para o Courbet, mas em público não temos sexo nem queremos, somos um país de cona fechada.

52 comentos “As conas de Braga

  1. Pingback: José

  2. Pingback: G_L

  3. Perplexo

    Catarina
    Tem toda a razão. Os seus comentários sobre os pais que cobrem o mal-estar com a desculpa dos filhos e sobre o sexo que não temos em público são divertidos, contudo pertinentes.
    No entanto, é irresistível perguntar-lhe isto: o C. do apelido, é abreviatura de quê?

  4. Pingback: O Blogue que ninguém lê! » Curtas… mas boas! (2)

  5. Miguel

    A situação em si é ridícula e igualmente preocupante. Que ainda há muita boa gente a viver na idade da pedra, parece evidente. E muito mais haveria a dizer.

    Quanto a Braga, refuto completamente o comentário do Afectado. Ali estudei e vivi durante alguns anos. Subsistirão algumas mentalidade retrógradas, a que não será alheio o facto da cidade ter o maior número de igrejas e capelinhas por habitante em todo o país. Na generalidade, a mentalidade das pessoas não corresponde à situação aqui retratada.

  6. Afectado

    Miguel, é possível que quando cá esteve a sua convivência pessoal fosse mais com as pessoas da universidade (no caso de os anos que cá esteve terem sido os da universidade).

    Mas olhe que ando por Braga há quase 25 anos e sei do que falo. Claro que há de tudo (como em todo lado). Mas para uma cidade do seu tamanho, já se justificava ter mentalidades menos atrasadas!

    Curiosamente não sou só eu que o digo. Mais pessoas que vivem em Braga há décadas tiveram a mesma reacção após este caso…

  7. Miguel

    Afectado, em boa verdade assim foi. De qualquer modo, dos “autóctones” que conheci, e foram alguns ao longo dos anos, não me pareceram tão retrógrados quanto isso. Para se chegar a esse ponto, só se for “imigrante”…

  8. Vasco Campilho

    O enconamento dos pais e dos policias bracarenses é o maior tributo que se podia prestar a Courbet. Sem o enconamento do publico, aquele quadro não passaria de uma cona. Deste modo, trata-se de uma cona enconante. E é essa reflexividade que lhe outorga o estatuto de obra de arte.

  9. Clara

    bem, entre o vasco e a cat conseguiram tirar o significado absolutamente porco da palavra cona e transformá-la num quilo de alcatra, isso bem pesado sr. aníbal.

    não prossigam senão daqui a nada o que poderemos nós usar numa situação de puro insulto?

  10. PreDatado

    Eu sou parco de memória mas há uns tempos e a propósito de outra coisa já se tinham manifestado e creio mesmo criado um movimento as conas de Bragança, não foi? Ou terão sido as alcatras de Bragança, Clara? Ai esta minha cabeça…

  11. Pingback: Raquel Valentim

  12. Tiago Taron

    Na muche.
    Enconados é a palavra. Imagino um pai – um pai qualquer – imagino o seu desconcerto ao ver a imagem. Na dúvida escolhe o que é agora tão fácil de escolher para se demitir do que não sabe resolver, chama-se a autoridade. O jogador que protesta com o árbitro por não saber jogar, o cliente vingativo que chama a ASAE porque o dono do restaurante o faz apanhar as poias do cão, os ouvintes das rádios que assiduamente se queixam ao provedor, a cultura do livro de reclamações, o anomimato daqui (blogs) como a expressão sublime do direito de expressãom, os pais que não educam e vão à escola exigir dela o que não fazem, é tudo o mesmo rosto do novo portugal desorientado, sem tomates e cheio de medo do princípio do mundo. Enconados e destomatados, em suma, mal fodidos e sem sair de cima.

  13. O diabo está nos detalhes

    O mal, cara cat, é de quem tem cona e não mostra. Não culpes, portanto, a PSP – culpa as mulheres portuguesas que teimam em sair à rua vestidas, entrapadas e entaipadas, encerrando entre pernas aquilo que os Courbets deste mundo sempre cobiçaram. Elas sim, são as responsáveis pelo enconamento dos bonus pater familias bracareneses (elas e as mães de Bragança, que é só mais ali ao cimo.)

  14. Mário

    Ah grande Courbet! Mesmo tantos anos depois a tua obra ainda faz tremer as mentes fracas! Lá onde estás dever ter rido muito da pequenez que ainda perdura!

  15. Carlos

    Eu também se fosse polícia faria o mesmo!
    Todas as que pudesse levava para casa!
    Nem que fosse para lhes dar uma aparadinha ou dentadinha ou pinceladazinha.
    (e faz-me imensa falta uma cona Courbet!)

  16. RB

    afectado… não posso concordar nada consigo… Braga é uma cidade completamente contrária a este tipo de censuras.

    É uma cidade com tendências até bem mais arrojadas do que a generalidade do pais, incluindo Lisboa e Porto.

    Mas também é uma cidade de extremos… desde ‘Padres, Putas, Paneleiros’ etc e tal.

    É a denominada cidade dos 7 P’s não é?

    Ricardo

  17. PKB

    Ontem, quando vi nas notícias o “xarivari” que foi a capa do livro, nem queria acreditar! Se fosse uma capa com uma foca bebé morta à paulada ninguém se incomodava, mas como é um quadro de uma vagina, aqui d’el rei que as criancinhas vão ficar traumatizadas!…
    Irrita-me este falso moralismo! Os miúdos deviam era estar fascinados a olhar para capa… assim como muitos adultos, que se calhar não vêem uma ao vivo há umas quantas quaresmas…
    Deixem-se de merdas e se não gostam, não olhem. Se gostam… levem a Maria para casa e dêem uma queca pelas vossas alminhas!

  18. Maldonado

    Realmente vivemos num país de coninhas… :@
    Os que se escandalizaram com a pintura de Courbet são os mesmos que vão às escondidas das mulheres às casas de strip ou de alterne a Espanha ou ao Porto…

  19. Luz

    Este “incidente” até daria para rir, se não desse para chorar. Desde quando uma farta cabeleira desta, qual flor aberta ao amor, é pornográfica? Anda tudo doido, só pode. A polícia e a malta. E isto não é típico de uma região, mas de todo um País, não se enganem. Já aconteceu idêntico em Viseu. Nos Morangos com Açúcar não se vêem as conas, mas sabemos que elas andam por lá a seduzir. Até nos filmes da tarde, nas publicidades, em todo o lado. Mas com essas ninguém se preocupa. Credo, uma cona! Que horrorrrrrrrrrrrrrrr!!!! É coisa digna de fugir, de tão rara. Vejam só: Até eu tenho uma e o meu filho vê-ma quando saio do banho. Às tantas tenho que ter cuidado, não vá a polícia buscá-la. E está mais aparadinha, pois está! Só ainda não foi imortalizada num quadro, pronto. Isso é que é uma grande merda.

  20. Carlos Santos

    Deviam era por dois profissionais da arte a dar uma quecas ao fim de semana e com educadores de infância a explicar o acto e dos “prolbemas” que correm na adolescência se não tiveram uma atitude responsável.

    Já que muitos pais não têm sequer a capacidade prepararem os seus filhos para o inicio da actividade sexual.

  21. Tito Livio

    Cachez ce sein que je ne saurais voir.
    (Esconda esse seio cuja vista não suportaria)

    Já lá dizia Tartufe, o célebre beato pudibundo e hipócrita (duplo pleonasmo).

  22. Tropeça aqui

    Em oposição temos o lóbi dos “chatos”. Os que se colam à alcatifa e nem aspirados largam Portugal.

  23. Winston

    Caro Afectado.

    Eu ando em Braga há muito mais tempo e não concordo consigo! Braga é como as restantes cidades do país. Há de tudo! Eu vi em Oeiras, Gondomar, Felgueiras eleições inacreditáveis. O mesmo se passa em Braga, nem mais, nem menos.

  24. joana

    “Ganda Post”? “Ganda post” porquê? Comenta uma situação ridicula, aconselha conas mais abertas (sim, concordo, é um bom conselho), é escrito num português razoável e … e mais nada, é só isso. Porquê um “ganda post”? Só me vêm à cabeça as palavras da Virginia Woolf “She is content with superficial smartness”. É que já que estava a falar de conas podia ter-se dado ao trabalho de ir um pouco mais fundo. Havia espaço para isso.

  25. Pedro Barbosa Pinto

    Se a pintura em vez de ter sido pintada por Courbet (anarquista) tivesse sido pintada por Michelangelo, e em vez de se chamar “A Origem Do Mundo” se chamasse “A Virgem Deitada” deixaria de ser pornográfica para passar a ser digna do teto da Capela Sistina.

  26. Pingback: Evolução [5] « Os auscultadores são objectos giros

  27. Crezia

    Cheguei cá só hoje portanto. Uma palhaçada. O que é mais triste é o tempo que se perde com merdas destas e o que interessava mesmo (paizinhos desse que se calhar depois fazem pior, muito pior que uma punheta ou queca, que isso não é proibido ou crime) ninguem sabe, ninguem viu. Olha, hoje estou escatologica. Deve ser da idade a chegar.

  28. julios

    Quem fez as conas foi Deus-se
    Que as gajas mandam nas proprias tudo idica que sim., as exploram e as usam até para subir na vida
    Dao-nas a quem querem assim diz a lei
    e pagam bem quem precisa delas pelo mesmo Deus que criou as picas que delas precisa.

  29. matos silva

    Nós homens viemos ao mundo em desvantagem,não temos cona, e se queremos temos de pagar,ou ter uma mulher que nos dá quando quer,há casas de mulheres onde se vende sexo femenino,e nós onde vendemos o nosso,aí está a nossa desvamtagem.

  30. Almeida

    Engraçado, já percorri o pais de alto e abaixo sabem o vejo,pessoas que ainda vivem no século passado!Perguntem o que faziam os nossos pais no palheiro has tantas da noite,perguntem aos idosos o que faziam nas matas e tb nos palheiros?Quantos pais e mães existem do antigo 100 pai,ou pai incógnito…escondem se dentro dos palheiros enquantos nós falamos de sexo “ABERTO” sem papas na lingua suas “CONAS” saltitantes k se escondem no fio dental,nas minis-saias desejosas de levar com peso…vemos sites na net com tudo cá fora, no you tube sem discriminação para os miúdos que já sabem para que serve o “MASTRO” que anda sempre caído, e quando se levanta vomita se tdo…Por isso esses idosos sejam sinceros e digam as fodas que deram em novos e não digam “AÌ QUE POUCA VERGONHA”,quando eu lhes responde a srª.na minha idade que fazia no palheiro!?!?é só rir…Devemos manter a mente “ABERTA”,sem preconçeitos nem pudor e falar abertamente.porque é uma maneira de ensinar os mais novos a protegerem se contra as doenças actuais!Metam o choriço nas conas e comam nas com o pão,embrulhados nos sitios que mete mais tesão…andam elas por aí,cheínhas de tesão há procura de pilinhas de norte a sul da região….lol Gonçalo Almeida sem papas na lingua,lisboeta residente no concelho de braga,quem vive em braga,não tem medo nem pudor em dar uma fodida seja velha ou nova,seja de lingua ou boca…”A SEGUINTE QUE TIRE O TICKET”<———–9999 next….

  31. matos silva

    Já corri muito e encontei de tudo, mulheres sem
    qualiudade nenhuma, mas também encontrei mulheres nas casas de meninas,ou seja a vender
    sexo, que me deixou muita pena, totalmente perdidas, como é óbvio essas mulheres meressem
    respeito e carinho…carinho ouviram bem ,eu sou o primeiro a dar esse carinho…pensem nisso….

  32. alfredo

    QUELARO que os estudantes en braga jà saben falar e lutàr palos seus entreces ,se os pais e a policia fes o que fes foi pensso para a boa enducacao que ainda resta en braga porque ten chegado muito boas atitudes e anbientes a braga nos ultimos 15anos :- e se queren ver conas e as modas que teen chegado a braga cigan a roduvia que vai para o B GESUS Hà NOITE ,vesse de tudo um pouco pois devo diser resar è que nao vao os pais se souvecen controlar os filhos e o salasar nao tivece murrido: eu sei que sou atrasado mas sei que a policia à civil jà fàz muita falta em braga tenho dito

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Notify me of followup comments via e-mail. You can also subscribe without commenting.