100nada

O meu tempo 100nada

Cada vez tenho menos. Tempo sem nada. Não é que não tenha tempos mortos, inactivos, tenho. Às vezes prolongam-se tanto que conto minutos, passou um, passou outro, só passaram cinco? Esses são longos, cansam-me. Não é tempo sem nada, esse é tempo cheio de vazio, cheio de alternativas melhores que…

Read more





À vista de toda a gente

Um dia, a organizar uma caça ao tesouro (organizava todos os anos) e a esconder envelopes, decidi enfiá-los todos numa parede de rede, completamente à vista. É giro, há fotografias das pessoas à procura por todo o lado e os envelopes ali, vêem-se perfeitamente. Só resulta uma vez, mas calhou…

Read more

Todas eu nós

Vivo em fios, pendurada, às vezes pelos cabelos, na corda bamba, no fio de uma lâmina, às vezes tão enrolada, quase sufocada. Vivo em fios e alguns só me ligam e outros amarro-os eu, aos pés, com uma pedra grande na ponta que depois arrasto atrás. Vivo em fios e…

Read more



Janeiro seis

Não, não me comovam. Não mexam comigo. Não me toquem, fiquem à distância que me impus, um braço esticado com a mão em pára, o lado de lá do muro, um quilómetro ou um oceano de distância, fiquem lá e eu aqui, não mexam comigo. Não quero senão o meu…

Read more